;      
 photo Untitled_zps54f53861.png photo Untitled_zpsa8266951.png photo 59896ba4-f6cf-41bb-bf0a-9d4bf67da557_zps56cbfac1.png photo Untitled_zpsa67acb25.png

SEARCH THIS BLOG

A carregar...

30/01/2015

Na Cozinha | Francesinha

Francesinha. Preciso dizer mais alguma coisa? Se calhar ficaria bem, apesar de achar que as apresentações são dispensáveis. Fã deste prato típico do Norte,  a francesinha é um pedaço de Paraíso na terra e eu estava com muita vontade de comer uma. O problema: estou na terrinha e não faço ideia onde se comem francesinhas por estes lados mais centrais do país - nem sei se se comem de todo. O problema ficou resolvido depois de alguma pesquisa on-line, que me revelou que a francesinha é bem mais acessível do que eu pensava. Claro que não tem o mesmo gostinho das que se comem em Vila Nova de Gaia mas soube-me, como se costuma dizer, pela vida. Como não tinha intenção de postar isto, não tirei fotografias da preparação mas fiquei tão orgulhosa da minha criação que decidi incentivar-vos a experimentarem a fazerem a vossa francesinha em casa. 


Ingredientes para 1 francesinha
- 2 fatias de pão de forma (eu usei Panrico especial torradas)
- 1 bife
- 2 salsichas frescas
- 2 linguiças
- 1 ovo
- queijo e fiambre fatiado

Preparação: 
Grelha-se as carnes e coze-se a linguiça. Depois, constrói-se o "prédio": uma fatia de pão, queijo, fiambre, o bife grelhado, as salsichas, pedacinhos pequenos de linguiça, uma fatia de queijo e, por fim, a outra fatia de pão. Estrala-se o ovo e coloca-se em cima da sandes, cobrindo depois a mesma com as fatias de queijo (como na imagem). Vai ao forno até o queijo derreter. 

Molho
- 1 lata de tomate pelado
- 1 copo de vinho branco
- 1 cerveja de 25 cl
- açucar q.b.
- sal q.b.
- piri piri q.b.

Preparação:
Num tacho, deita-se a lata de tomate pelado, o vinho, a cerveja e um copo com água e deixa-se cozer. Numa das receitas que vi dizia para acrescentar metade de um hambúrguer mas achei que era too much e não coloquei. Deixei cozer durante vinte minutos. Depois tirei o tacho do lume e passei com a varinha mágica o tomate pelado até ficar com uma mistura homogénea. Voltei a levar ao lume e acrescente o sal, açúcar e piripiri a gosto. Quando o molho atingiu uma textura que me parecia boa, apaguei o fogão e deixei repousar por dez minutos. 

Sou muito sincera: não ligo muito a porções e a tempos porque os electrodomésticos são diferentes assim como os gostos das pessoas. Acho que temos de adaptar o que cozinhamos aos nossos conhecimentos e aos nossos recursos e é por isso que adaptei as receitas que vi para uma que me agradou. Gostei do resultado final para uma coisa tão simples de se fazer e, certamente, irei fazer muitas mais vezes. Obviamente não dispensarei uma verdadeira francesinha quando andar pelos lados mais nórdicos do país! E vocês, gostam de francesinha? Já experimentaram fazer em casa?

Com ,
                            

Merece o teu like? Clica aqui:

28/01/2015

Kordale e Kaleb | Nikon & Homossexualidade

Depois deste post sobre a mais recente campanha da Tiffany que inclui na sua publicidade um casal homossexual, deparei-me com este post no blog Lizzy The Lezzy que apresenta uma publicidade protagonizada por outro casal homossexual, desta vez já conhecido do público.
"Ser pais é acordar as nossas filhas às 5h30 da manhã, fazer o pequeno-almoço, vesti-las para a escola e pô-las no autocarro às 6h30. Isto é um dia típico na nossa casa. Não é fácil mas nós adoramos cada momento e cada minuto disso", pode ler-se no texto abaixo.

Fonte da Imagem 

Esta imagem, que apareceu algures numa página do Tumblr que eu não consegui encontrar, era simplesmente uma fotografia partilhada por um pai numa situação completamente normal do seu dia-a-dia. No entanto foi viral por serem um casal homossexual com filhos, numa situação completamente impensável para muitas pessoas.
A publicidade da Nikon está linda! Uma família linda numa cenário de perfeita união! No entanto, acho que temos que refletir sobre o facto da homossexualidade estar a ser explorada para fins comerciais. Afinal, este casal homossexual com os seus lindos filhos foi convidada porque os homossexuais têm os mesmos direitos dos heterossexuais e faz todo o sentido que a publicidade comece a pensar por essa prespetiva ou, por outro lado, foram convidados porque algo deste género cria polémica e, assim, gera vizualização? Na minha opinião, este tipo de iniciativas só traz benefícios à comunidade LGBT mas quais são os intuitos das marcas?



Gostava de acreditar que as intenções são boas e que o objectivo é fazer com a que nossa sociedade moderna aceite o que é natural: o amor consciente entre duas pessoas adultas. E tu, o que achas desta publicidade e de tudo o que envolve os temas aqui expostos? Este post teve como fonte de informação, imagens e vídeo este post do blog Lizzy The Lezzy


Com ,
                            

Merece o teu like? Clica aqui:

26/01/2015

Personal | Das segundas oportunidades

Gostava de dizer que acredito nas segundas oportunidades e que há pessoas que realmente merecem. Gostava de dizer que já fui magoada por ter dado uma segunda oportunidade a alguém porque isso significaria que eu tenho essa capacidade. Mas a verdade é que não tenho ou, se tenho, nunca a pus em prática até hoje. Houve uma altura em que pensei que aquilo que estava a atravessar com uma amiga fosse um caso que pudesse descambar na conversa que dá título a este post mas não era. Eram birras de miúdas que não tinha mais em que pensar se não chatearem-se por coisas minimas que, na altura, pareciam constituir no fim do mundo. No entanto, nestes últimos anos da minha vida, nos quais acredito ter vivido e aprendido o suficiente para me saber madura e com consciência sobre alguns aspectos da vida, acredito que não houve espaço para segundas oportunidades, principalmente no que toca a pessoas que entram e saem da nossa vida. Uns entram para ficar. Outros, sem sombra de dúvida, ainda bem que não ficam! 

Imagem via Tumblr
Tive uma grande amiga que se separou de mim e do resto do nosso grupo ainda hoje não sabemos bem porquê (desconfiamos, mas não sabemos). Lembrei-me desta treta toda por causa dela, não porque ela me tenha pedido a tal segunda oportunidade mas porque vi uma fotografia e senti saudade. Senti saudade das nossas conversas, das nossas saídas, das nossas aulas, dos nossos sorrisos, dos nossos corações que pareciam tão unidos e indestrutíveis e que, todavia, se revelaram tão ou mais frágeis que castelos de cartas levadas pelo vento. Agora a pergunta: dar-lhe-ia uma segunda oportunidade? Provavelmente não. Porque as coisas nunca voltam a ser o mesmo, porque a confiança tem de ser conquistada apesar de haver a memória daqueles tempos que foram tão bons e que parecia que nos compreendíamos só com o cruzar de um olhar. Porque as expectativas, por mais baixas que sejam, serão sempre defraudadas pelas boas memórias de dias que vivemos e partilhámos.

Se a minha maneira de encarar esta situação é assim, julgo que seja lógico pensar que se alguém me magoar e depois desejar um segunda oportunidade, a minha resposta seja um não irredutível.

Identificam-se com as minhas palavras de alguma forma? Já passaram por alguma situação em que ficaram cara a cara com a terrível situação de dar uma segunda oportunidade a alguém?

Com ,
                         

24/01/2015

New in | Tmart.com


Depois da época de exames (e de todas as cadeiras feitas, yey!) finalmente estou em casa, na terrinha. Assim que cheguei descobri logo que tinha uma coisinha à minha espera da loja on-line Tmart. Fiquei muito desiludida quanto reparei que estes patrocinadores se enganaram no meu número, enviando-me um bem mais pequeno (bem mais!, sou um L/XL e eles enviaram-me um S). Já em relação aos piercings vem tudo direitinho. Não vale a pena ficar muito ansiosa por causa deste look, possivelmente este suposto vestido nem me vai servir como camisola. We will see


Com ,
                         

18/01/2015

Will You? | Tiffany & Homossexualidade

Andava eu a passear pelo meu dashboard do facebook (porque em época de exames é bom é estar agarrada ao computador, a coscuvilhar o facebook) quando me deparei com uma imagem que está a gerar uma certa polémica e que faz parte da mais recente campanha de publicidade da grande loja Tiffany. A imagem, fotografada por Peter Lindbergh, é protagonizada por um casal homossexual, dois homens através dos quais a loja transmite que apoia todos os tipos de amor e que todos eles devem ser celebrados. 

Imagem retirada daqui
A campanha deseja mostrar que o amor acontece de várias formas, disse Linda Buckley, a representante da joalharia. "Hoje em dia o caminho para o casamento já não é linear," disse ela. "Amor verdadeiro pode acontecer mais que uma vez com histórias de amor a acontecer de variadas formas."

Fiquei surpreendida com esta atitude da marca, visto que esta é uma atitude arriscada devido ao preconceito homofóbico que, infelizmente, ainda se vive. Espero muito sinceramente que este tipo de situações aconteçam mais regularmente e que sobrevivam ao repúdio que se construiu à volta da homossexualidade. E, quem sabe, pode ser que venham abrir as mentes dos mais ... conservadores? Não gosto de usar esta palavra porque não me parece adequada. Por vezes, não é uma questão de se ser de uma geração em que casais do mesmo sexo eram uma coisa impensável mas sim uma questão de pura estupidez, como os que estão por trás dos motivos religiosos. Enfim, não vou discutir isso agora. Qual é a vossa opinião sobre todo o assunto? 


Com ,