;      
 photo Untitled_zps54f53861.png photo Untitled_zpsa8266951.png photo 59896ba4-f6cf-41bb-bf0a-9d4bf67da557_zps56cbfac1.png photo Untitled_zpsa67acb25.png

23/11/2014

Not dead yet

Quase um mês depois, volto aqui com toda a lata do mundo para dizer que não morri, que simplesmente não tenho a vontade de manter o blog que tinha noutros tempos mas que também não me quero desfazer dele. Têm sido dois anos muito bons por aqui. Ainda não decidi o que hei-de fazer em relação a ele mas o mais provável é mantê-lo. Não sei com que tipo de conteúdos mas, certamente, com alguns. Let's see what happens

Por aqui tem sido assim: na base do estudo e da boa vida. 


With  by 
                         

29/10/2014

Keep Calm & Enjoy Halloween!

Olá belezas! Desculpas não se pedem - evitam-se!, mas a recente falta de actividade por estes lados tem sido algo de extraordinariamente vergonhoso. Tal facto deve-se a situações de foro pessoal (faculdade e outros que tal) que me esgotam o tempo e a paciência que outrora tive para este cantinho. Espero que me possam perdoar! 

Uma data super emocionante está para chegar e eu tenho zero ideias sobre o que hei-de fazer em relação a isso. Estou, pois claro, a falar sobre o Halloween! Já vi algumas fotografias de maquilhagens feitas por outras bloggers de deixar água na boca e vontade de fazer algo - no entanto, como vos disse, o tempo e a paciência estão muito bem distribuídos por outros campos da minha vida. No entanto, aqui ficam algumas ideias do que gostaria de fazer:





Mexican Skull - apesar de ter feito esta maquilhagem no ano passado (ainda que meio estranha e pouco a ver com as lindíssimas que costumam circular pela internet como aqui, aqui ou aqui), não cheguei a usá-la no Dia das Bruxas. Acho que é sempre uma boa e segura aposta, ainda que não tenha a certeza se conseguiria voltar a fazê-lo (perdi a pouca prática que adquiri... shame on me). 




Feridas & outras que tal - utilizei esta obra de arte há dois anos, num dos Halloweens mais felizes da minha vida. Utilizei a técnica ensinada pela Vanessa Makes (vê aqui) e gostei do resultado. Aqui ainda não tinha o sangue falso, um elemento que dá bastante realismo à coisa (dica: corante alimentar azul e vermelho são uma boa alternativa). Esta técnica também é muito boa para colocar no pescoço e fingir degolamento, no rosto e brincar ao "Walking Dead" e por ai fora... é uma ferramenta que dá realmente aso à imaginação!



Personagens que fazem parte da nossa vida - ou pelo menos, da minha. Desde a típica vampira, passando pela animação às personagens mais acarinhadas, todas estas senhoras são, para mim, uma excelente ideia para este Halloween. Confesso que, com o êxito do filme "Maleficent" o que não devem faltar para ai são Maléficas mas, mesmo assim, é uma ideia super válida. Quanto a sensualidade... nada melhor que Wicked Witch.



Fontes de imagem
aqui | aqui | aqui | aqui | aqui | aqui |


Quais são as vossas ideias?
With  by 
                         

18/10/2014

#3 In Love...

Nas cores do Outono, pela Seaside,
Sim, ainda mora gente por estes lados. Desculpem a falta de tempo.


With  by 
                         

12/10/2014

(33) Book Opinion | Looking For Alaska

"À procura de Alaska" é um livro de John Green, lançado em Portugal em 2013 por Edições Asa. Tem 256 páginas e os seus direitos para adptação ao cinema foram adquiridos por Paramount Pictures. Eis a sua sinopse:

« "Na escuridão atrás de mim, ela cheirava a suor, luz do sol e baunilha, e, nessa noite de pouco luar, eu pouco mais podia ver além da sua silhueta, mas, mesmo no escuro, consegui ver-lhe os olhos - esmeraldas intensas. E não era só linda, era também uma brasa."
Alaska Young. Lindíssima, esperta, divertida, sensual, transtornada… e completamente fascinante. Miles Halter não podia estar mais apaixonado por ela. Mas, quando a tragédia lhe bate à porta, Miles descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional.
Nunca mais nada será o mesmo. »


À Procura de Alaska
Capa em Portugal 


Foi com o livro "À Procura de Alaska" que John Green se lançou como escritor. Apesar de "A Culpa é das Estrelas" (falei do livro e do filme) ser bastante conhecido, a história de Alaska Young não fica muito atrás, principalmente se pensarmos que os direitos do mesma já foram adquiridos para uma adaptação ao cinema. 
Este livro é um poço de ideias e ideais sobre a vida que nos leva realmente a refletir sobre a nossa e a olhá-la de uma maneira menos petulante e negligente - por momentos, convenci-me que a minha vida é realmente efémera e agora estou aqui mas daqui a horas posso não estar. A escrita e as personagens de John Green têm esse efeito sobre mim. 
Começando pelo inicio, Miles "Pudge" Halter é o protagonista do romance. Com dezassete anos muda-se para o colégio Culver Creek à procura do seu "Grande Talvez". É ai que conhece "Chip "O Coronel" Martin", colega de quarto de Pudge e melhor amigo de Alaska Young, a miúda gira, enigmática e autodestrutiva que capta imediatamente a atenção de Miles. 
À semelhança de "A Culpa é das Estrelas", neste romance os personagens são adolescentes/jovens adultos na minha faixa etária que são demasiado adultos e que falam demasiado bem ("O que deves entender sobre mim é que eu sou uma pessoa profundamente infeliz."). A maneira como Green explora assuntos como a efemeridade da vida, o destino e a utilidade de cada um no mundo e as aplica em cada um destes adolescentes é fantástica mas forçada, na medida em que é normal que haja um jovem de dezassete anos com uma profunda maturidade e conhecimento mas não um grupo deles, concentrados exatamente no mesmo sítio. No entanto, e no geral, física e psicologicamente, as personagens são adequadas e consigo identificar-me com elas.
A história começa por ser cativante, passa a emocionante e depois desaba na pura frustração. As reviravoltas são imprevisíveis assim como as ações perturbadas de Miles e Chip que tentam perceber como perderam o que realmente os uniu: a problemática Alaska.  

“O que é "um instante", de qualquer das formas? Quão longo é um instante? É um segundo? Dez? A dor desses segundos deve ter sido horrível, como o seu coração a explodir e os seus pulmões a colapsarem e não haver ar nem sangue a ir para o seu cérebro, apenas um pânico cru.  Mas que merda é um instante?Nada é um instante. Arroz instantâneo leva cinco minutos, pudim instantâneo uma hora. Duvido que um instante de dor cegante se sinta particularmente instantânea."

With  by 
                         

06/10/2014

Movie Review | Maleficent (2014)


Maléfica (2014) é um filme dirigido por Robert Stromberg e produzido pela Walt Disney Pictures. Protagonizado pela icónica Angelina Jolie, este filme conta o outro lado da história da Bela Adormecida: o lado da vilã - que, no final de contas, se revela tanto vilã como heroína
Maleficent (2014) is a movie directed by Robert Stromberg and produced by Walt Disney Pictures. With Angelina Jolie in the principal character, this movie pretends to share the other side of The Sleeping Beauty story - the side of the villain, which, in the end, reveals to be both villain and heroine.


A minha opinião | My opinion

Maleficent stars to be a lovely fairy -  source


O filme começa por ser narrado por uma mulher de certa idade que pretende contar a história de dois reinos que só podem ser juntos por um grande herói ou por um grande vilão.
Maléfica é um filme que me fascinou desde a ideia até ao final. Não considero que seja um filme perfeito - antes pelo contrário - mas a base do filme e a grande interpretação de Angelina Jolie fizeram deste filme um dos melhores que já vi.

The film begins to be narrated by a woman of a certain age who want to tell the story of two kingdoms that can only be together because of a great hero or a great villain. 
Maleficent is a movie that fascinated me since the idea until to the end of the movie. I do not consider it is a perfect movie - quite the contrary - but the prime idea of the film (the point of view of the villain) and a great interpretation of Angelina Jolie made ​​this movie one of the best I've seen.