;      

quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Papel e Caneta | Dos spoilers

Há um bicho terrível criado pelos fãs de livros, filmes e séries chamado spoiler. O spoiler é aquela informação sobre o livro/filme/série que acaba por tirar toda a piada ao visionamento/leitura dos mesmos uma vez que ficas a saber o ponto fulcral da história e, obviamente, o interesse desaparece quase por completo. 
Hoje venho falar dos spoilers numa série em especifico, nomeadamente, em Game of Thrones (ou Guerra dos Tronos, se preferirem). Porquê? Porque o spoiler é algo ofensivo, algo que consegue acabar com a nossa vida no momento em que o lemos ou vemos alguma imagem referente a essa mesma série. É complicado controlar as emoções porque a série mexe connosco, vicia. Acabamos de ver um episódio e já queremos que seja Domingo outra vez, para dar continuidade ao vicio (estou a parecer viciada/desesperada o suficiente?). No entanto, é normal que hajam spoilers depois do episódio estrear, claro, uma pessoa tem de partilhar os seus pensamentos, opiniões (e, várias vezes, choro) com alguém que perceba os seus sentimentos. A página do facebook em que mais gosto de estar, relativamente a GoT, é Game of Thrones (Portugal). Conheces pessoas com o mesmo gosto/paixão/vicio que tu e é muito bom puder falar do que se gosta à vontade. No entanto, irrita-me três tipos de pessoas que lá andam: 
- aqueles que fazem spoiler de tudo e de nada;
- aqueles que, passados quatro dias da exibição do episódio no Estados Unidos e dois dias da exibição do episódio em Portugal, queixam-se que só encontram spoilers na página;
- aqueles que dizem "vão ler os livros!".

Trocadilho com a mítica frase de Game of Thrones, "The night is dark and full of terrors".

Os primeiros são um bocado irritantes. Como leram os livros, sabem porque é que aconteceu, como aconteceu e o que vai acontecer. Não posso culpá-los: é o entusiasmo!  No entanto estes conseguem-se controlar em certos aspectos, é preciso uma pessoa ir ganhando prática e saber onde é provável haver mais spoilers e tentar fugir ao máximo. Os segundos ainda são mais irritante. Passados três dias (três dias!) da exibição do episódio querem que as pessoas não falem sobre o mesmo, na própria página e no próprio post dedicado a ele. Quer dizer, não podem estar à espera que o mundo espere que eles vejam o episódio para se puder começar a falar nisso, não é verdade? Mas... mas os terceiros são mesmo os piores. Arrogantes, de nariz empinado, pensam que fazem um grande figurão ao dizerem às pessoas que frequentam a página dedicada à série para irem ler os livros. Certo, eu também adoro os livros e não, ainda não li os livros sobre a atual temporada (ainda estou no livro referente à primeira) por opção (tenho os quatro primeiros livros, como vos mostrei aqui e aqui). A questão é: quem são eles para mandarem seja quem for ler os livros? Primeiro, aquilo é uma página sobre a série (sim, estou a ser chata) e segundo, os livros são super caros e são muitos. Eu sei que pode parecer estranho (ironia!) mas há pessoas que não têm dinheiro para gastar em "trivialidades" como livros. Apesar de não o serem, para pessoas sem grandes posses é algo dispensável. Eu sei porque tenho amigos que passam por isso e é parvo lerem certos comentários descontextualizados. 

Enfim, este foi um desabafo cheio de irritação e sem algum sentido. Ou com pouco sentido. Enfim.

 photo he_zpsbf821d89.jpg

terça-feira, 15 de Abril de 2014

New in Lenny's Bathroom

Água Pura Micelar peles secas ou sensíveis 500 ml

Olá belezas! Depois de tanto ler sobre as fantásticas águas micelares, decidi que estava na hora de experimentar quando vi esta beleza da Corine de Farme no supermercado. Apesar de haverem outras marcas, decidi-me por esta. Porquê? Porque o conceito que esta marca foi desenvolvendo ao longo de trinta anos é fantástico e, pelas minhas pesquisas, tudo indica que a Corine de Farme não testa em animais. Infelizmente, cada vez é mais difícil perceber a veracidade destas informações porque as marcas não são sinceras e porque existem muitas informações (certas e erradas) em rede. Contudo, acredito que esta marca em específico seja verdadeira nesse conceito. 
Já comecei a utilizar e as primeiras impressões estão a ser muito boas, espero que assim se mantenha a longo prazo. Se tiverem interesse numa review sobre este produto, não se esqueçam de deixar comentário. 

Até ao próximo post,
 photo he_zpsbf821d89.jpg

domingo, 13 de Abril de 2014

Futilidades da Semana

Olá belezas! Depois do último Futilidades da Semana completamente dedicado à maquilhagem, esta foi uma semana bem mais diversificada no que toca a esta wishlist. Começando pela parte que não considero fútil mas que, baseado nos livros que tenho em casa por ler, torna-se um bocadinho, dois livros que passam a fazer parte da minha wishlist literária.

Do primeiro que tenho a apresentar, Despedida de Casado de Virgílio Castelo, a frase da sinopse "Numa fria madrugada, num ato de loucura, João e Beatriz decidem suicidar-se para eternizar o seu amor, tornando-o assim perfeito." foi o suficiente para chamar a minha atenção. Além disso, estou a dar inicio à minha exploração do mundo literário português, numa tentativa de ler em português o que foi escrito em português. 

Mas como é inevitável haver um ou outro interesse estrangeiro, Sasha Grey veio aguçar a minha curiosidade com o seu livro erótico Juliette Society. Dizem (as más línguas) que o livro é bem descritivo nas cenas picantes... baseadas nos filmes pornográficos que a escritora/ex-actriz porn protagonizou. Sendo verdade ou não, todo o meio que envolve este livro é intrigante, levando quem está de fora a querer conhecer Catherine e o clube elitista composto por homens extremamente ricos e influentes que procuram sexo sem limites. 

O vestido com cinto da Mango é uma daqueles meus desejos não concretizáveis. Porquê? É branco. No entanto, adoro a maneira como cai na manequim e acho lindíssimo para os dias de calor (a palavra futilidades é mesmo apropriada, não é?). 

Depois também temos dois produtos do lado das maquilhagens: uma paleta de sombras da Kiko, a Street Glam Eyeshadow & Eyeliner Palette e o batom La Base L'Absolu Rouge. Adoro os batons da Kiko mas nunca tive qualquer contacto com as suas sombras no entanto, como resistir a uma paleta de tons tão frescos? Já o batom da Lâncome desperta-me imensa curiosidade por causa da minha queda pelos hidratantes labiais, que existe porque tenho uns lábios com tendência para criarem cieiro. Será que vale o (muito) dinheiro?

Quais são as tuas futilidades?
Até ao próximo post,
 photo he_zpsbf821d89.jpg

quinta-feira, 10 de Abril de 2014

(3) Opinião literária sobre "Heroína" de Helena Duque (por Ana Ribeiro)

Olá belezas! Mais uma leitora, mais uma opinião! Enviada pela querida Ana Ribeiro, também ela escritora poetisa ( descobre aqui o seu livro "Diário da Uma Vida" e todo o seu mundo literário), esta é uma opinião muito especial porque, além de ter sido dada por uma pessoa que adoro escrever, como eu, a sua leitura de "Heroína" fez com que nos aproximássemos - como lhe chamo eu, amizade literária! Espero que a opinião da Ana faça com que vocês tenham vontade de ler e partilhar a vossa opinião e também de conhecer a sua poesia. 

Para saberem mais sobre o livro - onde comprar, outras opiniões, etc. - carreguem aqui
Se já leste, seria muito agradável para mim ler os teus pensamentos assim como para outros leitores. Assim, envia a tua opinião para beautifulness@sapo.pt (se publicaste em alguma plataforma on-line, não te esqueças de enviar o link). 

Opinião enviada pela Ana Ribeiro
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Autora: Helena Duque
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 212
Editor: Chiado Editora
ISBN: 978-989-51-0916-6

Sinopse:
"Sentia-me a corar, não por estar envergonhada mas por me sentir zangada comigo própria. Devia estar a reunir todas as forças do meu corpo para me recordar do fosso de onde saí depois da nossa intensa relação, em vez de estar a pensar no quão belo ele estava. Devia estar a lembrar-me das mágoas do passado e não a apreciar a tentação do presente."

Quando Maria Alice de Castro enfrenta uma nova fase da sua vida, o seu mundo sofre uma acidentada reviravolta com um reencontro inesperado. De olhos azuis, cabelos loiros e uma postura vincada, Ricardo Martins surge com os fantasmas antigos e revela-se tão irresistível como ela se lembrava. No entanto, Ricardo faz parte de um passado que Maria Alice deseja esquecer por todos os transtornos que sofreu desde então.
O que Maria não compreende é que, por trás daqueles acontecimentos obscuros que partilhou com Ricardo, existe uma história que pode justificar as acções que tanto a magoaram. Presa a um presente idílico, recusa-se a ouvir a voz do passado – e, quando ela menos espera, pode ser tarde de mais para voltar atrás nas suas decisões.

Opinião:
"Terminei de ler ontem (2 de Abril) este livro da Helena Duque. É uma autora muito recente, este é o seu primeiro romance (e que romance, posso já dizer-vos!) publicado pela Chiado Editora. Conheci-o através de uma entrevista feita à Helena que a Chiado Editora publicou na sua página do Facebook, fiquei muito curiosa com o livro, gostei da sinopse, achei a história muito interessante, mas gostei do livro principalmente por ser a estreia de uma autora jovem. Gosto de conhecer autores novos e a Helena cativou-me imenso. Acho que devemos apoiar os novos talentos da literatura, os veteranos já não precisam, muitos apoios têm eles… No início de Março adquiri o livro diretamente à Helena.

Pela primeira vez desde que escrevo por aqui as minhas análises dos livros que vou lendo, estou sem palavras. As emoções ainda estão muito à flor da pele, foi um livro que me tocou e marcou imenso, vai ser daqueles livros que vou querer reler mais do que uma vez de certeza absoluta. Pela história, pelas personagens, pelo enredo, pelo fator surpresa, pelo tipo de escrita. Se eu não soubesse que a autora tem apenas 19 aninhos, diria que ela escreve há anos, o tipo de escrita é rica, elaborada e muito trabalhada. Não parece nada ser um tipo de escrita de iniciante, ela tem muito talento para escrever e isso é ótimo. Escreve muito e eu gosto muito disso, da escrita que faz a diferença, que enriquece a história e a leitura do livro.

Bom, posso começar por dizer-vos que se quiserem saber como é o tipo de livros que adoro, têm que ler este livro, acreditem que vale muito a pena. Não se arrependerão. É de livros como este que eu gosto, a leitura começa suave, começamos a “apalpar o terreno”, a conhecer as personagens, o meio em que a história se insere, o enredo, tudo se vai desenvolvendo devagarinho. Quando chegamos quase a meio, já começamos a ficar sem fôlego, ansiosos, curiosos e inquietos para saber o que vem a seguir, começamos a não conseguir parar de ler, e todos os buraquinhos livres é para ler, ler, ler, até os olhos cansarem (falo por mim que nos últimos dias, lia antes de dormir, estava cansada e quase de olhos fechados, com vontade de dormir mas continuava a ler. Só mais um bocadinho, mais um parágrafo, uma página), porque a história começa a desenvolver-se, a surpreender, a ser imprevisível. Gosto dos livros que são fáceis de ler, que se leem rápido (detesto os livros em que parece que não saímos do mesmo sítio), e que à medida que vou lendo, me fazem pensar em vários cenários que acabam muitas vezes por nem se verificar. Este é sem sombra de dúvida o livro que preenche todos os requisitos.

A leitura foi especial, pois à medida que o ia lendo, fui falando com a Helena pelo Facebook acerca da história e das personagens. Fui-lhe dando a minha opinião sobre o livro e foi ótimo, ela é uma simpatia. Obrigada à Helena!

Falando da história, centra-se numa mulher chamada Maria Alice de Castro, que aos 18 anos se vê envolvida com Ricardo Martins, um homem 11 anos mais velho e casado. A relação entre os dois corre mal e cada um retoma a sua vida envergando por caminhos diferentes, alguns anos mais tarde, Maria Alice tem 24 anos, namora com Pedro e vive uma vida estável, até a relação com Ricardo assombrar novamente a sua vida. A partir daí vão ocorrer todo um conjunto de situações que vão alterar o rumo da história algumas vezes. Quanto ao final, adianto apenas que surpreende e que é inesperado. Nunca me passaria pela cabeça o que acaba por acontecer.

Coisas curiosas, a personagem Mariza, amiga de Maria Alice, que tem parecenças com a fadista Mariza. E a Luísa, secretária de Ricardo na empresa onde ele trabalha que me fez lembrar a cantora Wanda Stuart devido ao cabelo azul e às tatuagens.

Este livro fez-me recordar imenso os livros da Margarida Rebelo Pinto centrados em mulheres e que abordam a temática das relações.

Um livro viciante, surpreendente e apaixonante, de uma autora talentosa que tem tudo para ter um sucesso fenomenal.

Não deixem de ler…"

Espero que tenham ficado curiosos!
Até ao próximo post,
 photo he_zpsbf821d89.jpg